Artigo


Se preparem para o fechamento do País


Publicado 17 de março de 2020 às 06:00     Por Victor Pinto*     Foto Arquivo Pessoal

Pelo menos de uma semana a quinze dias o Brasil precisa encerrar atividades de aglomerações conforme previu Raul Seixas, em 1977, em “o dia em que a Terra parou”, mas o brasileiro mostra teimosia. Muitos reclamam do ambiente de trabalho como possível local propagador da Covid-19, mas não deixam de lado a praia, a balada do fim de semana ou a reunião de amigos.

Nesse caso, o maior exemplo, foi como o presidente Jair Bolsonaro, mesmo com suspeita de ter contraído o vírus, deu uma total mostra de irresponsabilidade ao aparecer na rua, em Brasília, junto a seus manifestantes, tocando as mãos e pegando celulares para tirar selfies.

O chefe do Executivo foi contra até as recomendações do seu adorado Donald Trump que já alerta para a necessidade do isolamento social nos EUA como forma de precaução, e o mundo tem mostrado essa alternativa como a eficaz.

O que pude perceber nos vídeos das manifestações pró-Bolsonaro foi um público desacreditado na existência do coronavírus. Alegam ser uma mentira para atingir politicamente o presidente e a economia local. Algo inventado pela China. Sim, esse é o público que compartilha o que realmente, nas entranhas, o presidente pensa.

É o mundo de Alice e o País das Maravilhas. Esse livro de Lewis Carroll, publicado em 1865, clássico da literatura mundial, sempre é utilizado de maneira irônica ao fazermos referência a alguém que passa ou diz ou faz parte de um momento fantasioso. Bolsonaro, tal qual o chapeleiro maluco, afirmou que a pandemia do Coronavírus (assim já classificada pela Organização Mundial da Saúde) era uma mera fantasia, algo criado pela grande mídia.

Que poder essa grande mídia tem? Fico cada dia mais surpreso como ela conseguiu fazer toque de recolher na China, fechar a Itália e também a Espanha. Trancar os voos dos Estados Unidos que partiram da Europa. Um poderio absolutista!

Foi do “chá das cinco” com Trump que boa parte da equipe do presidente Bolsonaro presente nos EUA contraiu o corona. O corona o sonda, apesar da negativa, mas parece ainda não acreditar no estrago que o Covid-19 pode fazer. Tudo seria culpa agora do Coronavírus.

O problema do coronavírus é algo sério e que precisa ter o devido cuidado, principalmente do poder público. A forma de propagação avassaladora do vírus na região Sudeste do País preocupa. Lá se concentra o maior números de casos registrados. Devemos passar por uma instabilidade que vai além da saúde: a econômica. Não temos o direito de parar e adoecer, mas o Covid-19 tem mostrado o contrário. Se não pararmos será pior.

Fiquemos espertos para os políticos não utilizarem dessa manobra de afastar a participação popular para não nos pregarem peças. Fiquemos espertos a empresários de má-fé que numa situação como essa que, podendo fazer muito mais para a sociedade na sua função social, acaba se valendo da doença para lucrar de maneira voraz.

Por mais que nossa economia, nossa politica ou nossa vida social sofram, paremos. A vida deve ser preservada acima de tudo e acima de todos.

* Victor Pinto é jornalista formado pela Ufba, especialista em gestão de empresas em radiodifusão e estudante de Direito da Ucsal. É editor do BNews e coordenador de programação da Rádio Excelsior da Bahia. Atua em outros veículos e com consultoria. Twitter: @victordojornal

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do AjuNews.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Lula não deve ser candidato à presidência em 2022 para 70,6% dos brasileiros, diz pesquisa

Justiça
Mais Lidas
Publicidade