Mundo


Vacinação contra covid-19 pode evitar perdas de 3,4 trilhões de dólares para a economia global


Publicado 11 de janeiro de 2021 às 10:40     Por Fernanda Sales     Foto Arquivo / Governo de São Paulo

A campanha de vacinação contra a covid-19 pode evitar perdas de US$ 3,4 trilhões para a economia global, o equivalente a 3,7% do Produto Interno Bruto (PIB) do planeta, e também garantir uma importante injeção na recuperação de países em desenvolvimento. Um adiamento da vacina ainda custaria aos países em desenvolvimento US$ 300 bilhões em perdas econômicas apenas em 2021. A informação, divulgada pelo colunista Jamil Chade, do Uol, faz parte de documentos internos usados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para avaliar a aprovação de produtos, como o imunizante da Pfizer.

De acordo com a publicação, no Brasil, a falta de uma vacinação ampla no mundo geraria uma perda para a economia nacional de US$ 89 bilhões. Uma imunização de grande parte dos países em desenvolvimento traria as perdas para apenas US$ 6 bilhões.

Nesta semana, o conselho consultivo da agência de saúde se reuniu para determinar de que forma a vacina deveria ser usada, o número de doses que deveria ser dado e quem deveria ser beneficiado.
Alguns estudos específicos ainda apontam o quanto a vacinação evitaria em custos adicionais para os serviços de saúde. Apenas no caso americano, a vacina contra covid-19 economizaria aos cofres públicos US$ 738 bilhões, que assim deixariam de ser destinados a tratamentos. Também se evitaria uma perda de produtividade do trabalhador que chegaria a pelo menos US$ 527 bilhões.

Segundo os documentos da OMS, uma vacina que evite a volta de lockdowns e distanciamento social teria um “alto valor” como instrumento para evitar a perda do PIB de diferentes países.

Usando dados do Fundo Monetário Internacional (FMI), a entidade indicou que o crescimento econômico para 2021 poderia ser de 5,1% no mundo. Mas, se a vacinação não ocorrer de forma global e ampla, essa taxa de recuperação não passaria de 2,1%.

De acordo com a OMS, se os países mais pobres não forem imunizados, a economia global continuará a sofrer uma perda de US$ 153 bilhões por ano, ou US$ 13 bilhões por mês. Nas economias emergentes, onde se inclui o Brasil, as perdas também continuariam se os mais pobres não receberem as vacinas. De acordo com os documentos, esses países teriam prejuízos de US$ 120 bilhões por ano.

 



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

STF rebate Bolsonaro e diz que não proibiu governo federal de agir contra pandemia da covid-19

Justiça
Mais Lidas
Publicidade