Entretenimento


Globo anuncia venda da gravadora Som Livre


Publicado 18 de novembro de 2020 às 17:38     Por Fernanda Souto     Foto Reprodução/ Facebook

O grupo Globo anunciou que a gravadora Som Livre será vendida nos próximos meses. O presidente-executivo, Jorge Nóbrega, fará seu pronunciamento, nesta quarta feira (18). Segundo o colunista Léo Dias, do Metrópoles, nem mesmo os colaboradores sabem da virada de chave e gestão da empresa.

Após o posicionamento de Nóbrega, a marca entrará em processo de arbitragem de valor e será colocada para venda no mercado. Entre as interessadas, está a Believe, a líder mundial em distribuição musical digital.

A Believe, sediada em Paris, conecta selos e gravadoras às plataformas e lojas digitais e atua fortemente em países como Inglaterra, Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Espanha, Brasil, Suécia e Índia.

Veja o posicionamento oficial da empresa:
Em mais uma etapa de seu processo de transformação, a Globo iniciou estudos para a venda da Som Livre, maior gravadora e desenvolvedora brasileira de talentos musicais e rentável negócio da empresa. Cada vez mais orientada ao modelo D2C (direct to consumer), a Globo tem feito uma revisão detalhada do valor estratégico de seus ativos, com foco nos negócios que mais atendem à sua estratégia principal. Isso não quer dizer, no entanto, que a música deixa de ter relevância em seu portfólio. Ao contrário. Além da presença e cobertura de grandes festivais como Rock in Rio e Lollapalooza, a música continua a estar no coração de canais por assinatura, como o BIS e o Multishow, e de programas de sucesso, como a família The Voice (The Voice, The Voice Kids, The Voice +), TVZ, Música Boa ao Vivo, entre outros.

“A Som Livre é um negócio extremamente sólido e rentável. Há 10 anos, fez uma grande e bem sucedida mudança em seu modelo de negócios, migrando seus investimentos para a gestão de talentos, e transformou sua marca numa grande potência do seu segmento, com atuação em várias plataformas. A música continua muito importante no portfólio da Globo, mas acreditamos que é um bom momento para sairmos do negócio tradicional de gravadora e nos concentrarmos na estratégia D2C”, explica Jorge Nóbrega, presidente executivo da Globo.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

TSE suspende punições para eleitor que não votou nas eleições municipais de 2020

Justiça
Mais Lidas
Publicidade


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.