Entrevista


“Edvaldo deve estar com medo de sair do poder, pois agora decidiu tentar calar as pessoas”, afirma Kitty Lima


Publicado 06 de setembro de 2020 às 07:10     Por Eduardo Costa     Foto Gilton Rosas/Câmara de Aracaju

Uma das deputadas estaduais que fazem parte do “G-4”, o grupo de oposição da Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe (Alese), Kitty Lima (Cidadania) criticou, em entrevista ao AjuNews, a postura do prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira (PDT), que entrou com duas representações contra ela por postagens que julgou ser de cunho eleitoral negativo para a imagem dele. “Edvaldo deve estar realmente com medo de sair do poder, pois agora decidiu até tentar calar ou intimidar”, afirmou a parlamentar.

À reportagem, Kitty também fez críticas sobre a postura da bancada na Alese, especialmente, no que diz respeito à aprovação de projetos do Executivo. Segundo ela, isso ficou ainda mais claro durante a pandemia do novo coronavírus: “Muitos parlamentares deram entrada em projetos importantes para os sergipanos, mas ficaram todos na gaveta, enquanto os do Executivo tramitam a toque de caixa”.

Durante a entrevista, Kitty Lima questionou a atuação do Consórcio Nordeste durante a pandemia de covi-19. A saída de Sergipe do grupo foi proposta pelos deputados Georgeo Passos (Cidadania) e Zezinho Guimarães (MDB), após o Governo Estadual repassar a quantia de R$ 15.829.131,60 para a estruturação da rede de urgência e emergência do sistema de saúde para o combate à pandemia, no entanto, segundo eles, não houve retorno do investimento.

“Ou o governo foi bastante ingênuo, ou agiu com irresponsabilidade. E isso o governador [Belivaldo Chagas, PSD] deve explicar aos sergipanos”, avaliou

A deputada também tocou em assuntos que fazem parte de suas discussões desde quando foi vereadora na Câmara de Aracaju, entre 2016 e 2018, até seu mandato na Alese, que começou em 2018, como o cuidado com os animais e a representação feminina. Além da atuação dos parlamentares da Alese.

 

Leia a entrevista completa:

AjuNews: Você é uma das deputadas que formam o chamado “G-4”, grupo de oposição na Alese. Recentemente, seu colega Georgeo Passos disse que “é frustrante” ser deputado em Sergipe, afirmando que a Casa sempre diz ‘amém’ ao governo. Há um comportamento subserviente da Alese com o Executivo? Isso tem afetado a independência do Poder?
Kitty Lima: Sim, e isso fica claro se você observar as pautas de votação. Quem dita quando tem votação e o que será votado é o Executivo, pois só se pautam os projetos do Executivo, enquanto os projetos importantes dos demais parlamentares ficam na gaveta. É uma postura que ficou ainda mais clara nesse período de pandemia. Muitos parlamentares deram entrada em projetos importantes para os sergipanos, mas ficaram todos na gaveta, enquanto os do Executivo tramitam a toque de caixa.

AjuNews: Uma das suas pautas mais fortes diz respeito ao cuidado com animais. Seu projeto mais recente, inclusive, é o que institui o Código de Proteção aos Animais de Sergipe. Como a gestão costuma tratar projetos desta natureza? Há um cuidado com a questão animal em Sergipe, ou você crê que ainda é preciso avançar muito?
Kitty Lima: O Código de Proteção aos Animais já está em vigor. Foi uma Lei aprovada ainda em 2017, mas infelizmente não é aplicada. Durante esse meu mandato tenho dado entrada em vários projetos que aperfeiçoam o código e protegem ainda mais os animais. Mas infelizmente alguns parlamentares não possuem uma visão moderna e sensível sobre os animais. E é algo que vai além da questão de ser base ou não, é um problema de visão. Alguns parlamentares não possuem sensibilidade e por isso não dão o devido respeito à causa. É uma situação lamentável, mas é a realidade do parlamento em Sergipe.

AjuNews: Um ponto que você sempre toca desde a época na Câmara diz respeito à representação feminina na política. Na Câmara você tinha apenas uma mulher ao seu lado, número que aumentou significativamente na Alese. Como você avalia essa participação? Uma bancada feminina maior ajuda o trabalho de vocês na Casa?
Kitty Lima: Ajuda, mas ainda estamos distantes de uma representação ideal. Precisamos de uma casa com representação feminina que acompanhe o que há na sociedade. Hoje somos a maioria, portanto deveríamos também ser maioria no parlamento.

AjuNews: A Alese tem fiscalizado de perto as ações do Consórcio Nordeste, e você foi uma das parlamentares que prometeu acompanhar a situação. Que avaliação é possível fazer do Consórcio Nordeste? É importante para Sergipe permanecer nele?
Kitty Lima: Ou o governo foi bastante ingênuo, ou agiu com irresponsabilidade. E isso o governador [Belivaldo Chagas, PSD] deve explicar aos sergipanos. Não se coloca o dinheiro do contribuinte, em um período de pandemia em que as pessoas estão morrendo por falta de respirador, nas mãos de quem contrata uma empresa que não tem condições de entregar os respiradores. O prejuízo aos cofres é o menor deles. O maior diz respeito às que vidas poderiam ter sido salvas e não foram pela falta de respiradores. Inclusive muito da estrutura de respiradores que nós tivemos do Estado durante nesse período foi fruto do trabalho do senador Alessandro Vieira [Cidadania-SE], não foi do governador.

AjuNews: O prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, entrou com uma representação contra você recentemente por postagens que julgou serem de cunho eleitoral negativo, especialmente sobre a ocupação das Mangabeiras. O recurso foi negado. Como você reagiu ao fato? O que acha que motivou Edvaldo a entrar com tal representação?
Kitty Lima: Muito tranquila, quem fala a verdade não tem o que temer. Edvaldo deve estar realmente com medo de sair do poder, pois agora decidiu até tentar calar ou intimidar as pessoas. Mas está para nascer alguém que vá me calar.

AjuNews: E como você avalia a gestão de Edvaldo em Aracaju, dois anos após a sua saída da Câmara Municipal? Sua visão sobre ele mudou ou segue a mesma?
Kitty Lima: Edvaldo é prefeito de um ano só, passou três anos escondido e agindo como se tudo estivesse bem. No último ano começou a asfaltar tudo e dizer que cuida da cidade. Isso mostra quem é Edvaldo Nogueira, ele só pensa em eleição. Falta compromisso, falta palavra e falta trabalho. Ele acredita que todos nós somos bobos, mas sabemos exatamente o que ele fez durante esse período, e a forma como fez. Nisso a população mudou.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Por divulgação de obra no Japãozinho, Justiça determina que Edvaldo exclua vídeo das redes sociais

Justiça
Mais Lidas
Publicidade


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.