Esporte


Atacante do Boca Juniors ironiza racismo após trocar camisa com Marinho: ‘se você fala ‘negro’, te denunciam’


Publicado 10 de janeiro de 2021 às 17:00     Por Eduardo Costa     Foto Reprodução/Twitter

O atacante argentino Ramon Ábila, do Boca Juniors, ironizou as denúncias que vem sendo realizadas sobre racismo nos últimos anos no futebol ao falar de Marinho, do Santos. Neste sábado (9), após o duelo contra o Argentinos Juniors pelo Campeonato Argentino, Ábila foi perguntado sobre a troca de camisas com Marinho após o duelo entre Boca Juniors e Santos na última quarta (6), pelo jogo de ida das semifinais da Libertadores.

Após casos de covid-19 terem sido revelados no Santos, Ábila foi perguntado com quem havia trocado de camisas após a partida. Ele respondeu: “Troquei com o Marinho, com o negro, eu o conheço. Bom… com o moreno, porque agora se você fala ‘negro’, te denunciam. Mas é carinhosamente. Se sou eu que digo ‘negro’ o que sobra para os outros, não?”.

A frase ganhou destaque até mesmo do “Olé”, principal jornal futebolístico da Argentina, que publicou a declaração do atacante do Boca Juniors com um emoji de risada. Vários comentários, em especial de brasileiros, criticaram a postura do veículo.

Tal frase remete à polêmica recente que envolveu o atacante uruguaio Edinson Cavani. Ele foi suspenso pela Federação Inglesa por três jogos por ter publicado após uma partida do seu clube, o Manchester United, uma mensagem agradecendo a um fã que o elogiou com “gracias, negrito” (“obrigado, negro” em espanhol).

O post foi apagado, mas uma investigação da Federação o puniu em três jogos, alegando que foi um comentário “insultuoso e/ou abusivo e/ou impróprio e/ou trouxe descrédito ao jogo”. A sanção gerou muitas críticas no Uruguai, com órgãos como a Associação de Jogadores de Futebol e até a Academia de Letras do país vindo à público para questionar o gancho.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

STF rebate Bolsonaro e diz que não proibiu governo federal de agir contra pandemia da covid-19

Justiça
Mais Lidas
Publicidade