Esporte


Presidente do Boca Júnior pede respeito após encontrar vestiário sujo no João Hora: ‘Uma imundice’


Publicado 19 de janeiro de 2020 às 16:27     Por Adelia Felix     Foto Reprodução / Google Street View

As condições do vestiário para visitante do Estádio João Hora, em Aracaju, foram criticadas pelo presidente do Boca Júnior, Gilson Behar, neste domingo (19). O time foi recebido pelo Sergipe em partida válida pela segunda rodada da primeira fase do Campeonato Sergipano 2020.

Em entrevista à Rádio Jornal, Behar afirmou que o vestiário destinado aos jogadores estava fedendo e cheio de fezes. Por causa da situação, o técnico Milton Fernandes precisou fazer a preleção do Boca próximo ao gramado.

“A gente procura receber o time em nossa casa super bem. Aí, a gente se depara com as condições desse vestiário. A gente fica muito triste. É um campeonato profissional. Tem que ter pelo menos respeito com os atletas. Vai fazer a preleção onde? Não tem lugar para tomar banho, os vasos tudo podre. Uma imundice só, disse o presidente.

Na oportunidade, Behar ressaltou que a culpa não é da Federação Sergipana de Futebol (FSF). “Você traz um empresário de fora e ele vai dizer ‘isso aqui é campeonato profissional?’ Não pela estrutura da federação, que não tem culpa nenhuma, não tem que limpar banheiro nenhum. Os jogadores estão debaixo da árvore na rua. Ainda bem que tem representante da federação aqui’, lamentou.

À Rádio Aperipê AM, Ernan Sena, presidente do Sergipe, que administra o estádio, lamentou a situação. “Peço desculpas à equipe do Boca. Ontem, uma equipe de limpeza veio aqui ao João Hora, e acabou utilizando o vestiário e não foi limpo. Mas já providenciamos tudo, já está tudo certo”.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.