Justiça


Empresário diz que fez disparos em massa para Haddad e Bolsonaro


Publicado 19 de fevereiro de 2020 às 19:13     Por Larissa Barros     Foto Roque de Sá / Agência Senado

O empresário Lindolfo Antônio Alves, sócio da agência Yacows, afirmou que prestou serviços de disparos em massa para as campanhas de 2018 de Fernando Haddad (PT) e do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A declaração foi dada em depoimento à Comissão parlamentar de inquérito (CPMI) das Fake News, nesta quarta-feira (19).

Alves entregou à comissão uma lista com 37 nomes de candidatos que contrataram o serviço, incluindo Henrique Meirelles (MDB), a deputada federal Tabata Amaral (PDT-SP), o deputado Rui Falcão (PT-SP) e o senador Antonio Anastasia (PSD-MG). O empresário declarou também que prestou esses serviços para a agência AM4, que trabalhou na campanha de Bolsonaro. De acordo com ele, o pacote contratado foi para envios de 20 mil mensagens de whatsapp, mas que só 900 foram utilizadas, e que desconhecia o conteúdo das mensagens disparadas para os números.

Sobre a campanha de Haddad, o empresário afirmou que foi contratado por uma outra empresa que trabalhava para o petista. Segundo Alves, Haddad foi um caso específico, e que ele acredita que a agência que fez campanha para ele já utilizava a plataforma.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Rachel Sheherazade pede R$ 19 milhões em indenização trabalhista ao SBT, diz site

Justiça
Mais Lidas
Publicidade