Justiça


Luis Felipe Manvailer é condenado a 31 anos de prisão por matar a esposa Tatiane Spitzner


Publicado 11 de maio de 2021 às 10:40     Por Larissa Barros     Foto Divulgação / Arquivo Pessoal

O biólogo Luis Felipe Manvailer, acusado de matar a esposa Tatiane Spitzner, foi condenado em júri popular, a 31 anos, 9 meses e 18 dias de prisão pelo homicídio qualificado da advogada, nesta segunda-feira (10), após sete dias de julgamento.

De acordo com informações do G1, a condenação foi anunciada às 20h pelo juiz Adriano Scussiato Eyng. O réu também foi condenado por fraude processual. Mas, ainda cabe recurso da decisão.

Na decisão, o magistrado também não concedeu a Manvailer o direito de recorrer em liberdade, mantendo a prisão preventiva. Ele está preso na Penitenciária Industrial de Guarapuava (PIG) há dois anos e nove meses. Além do pagamento de R$ 100 mil aos pais de Tatiane por danos morais.

O caso aconteceu em julho de 2018, em Guarapuava, na região central do Paraná. A advogada Tatiane foi encontrada morta após uma queda da sacada do apartamento onde morava com Manvailer. Apesar do biólogo afirmar que não teve envolvimento na morte da esposa, o laudo atestou asfixia mecânica como causa da morte da Tatiane.

Para o advogado de Manvailer, a decisão foi “manifestamente contrária às provas dos autos” e que a defesa do réu vai recorrer e pedir a anulação do júri.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.