Política


Parlamentares sergipanos se posicionam a favor da aprovação do piso salarial da enfermagem; pauta tramita no Senado


Publicado 04 de maio de 2021 às 21:00     Por Dhenef Andrade     Foto Reprodução / FIocruz

O Projeto de Lei (PL) que estabelece o piso salarial da classe de enfermagem (PL 2564/2020) pode entrar em pauta no Senado Federal nos próximos dias. A reivindicação é antiga da categoria, e o líder do PT na Casa, Rogério Carvalho, protocolou um requerimento de urgência para iniciar as discussões sobre a proposta. Outras personalidades políticas de Sergipe manifestaram apoio a proposta.

“Tanta exaustão por intermináveis horas de trabalho merece recompensa. Esta pandemia tem sido a maior batalha de nossas vidas e eles são os nossos grandes guerreiros. Vamos fazer uma corrente do bem para colocar esse projeto de lei 2564/2020 em pauta no Senado Federal”, disse o petista.

A senadora democrata Maria do Carmo Alves também declarou apoio à causa. “Não poderia deixar de me pronunciar por essa categoria tão importante, que responde por mais de 60% de todo pessoal da área da saúde e que tem enfrentado com bravura e sacrifícios os imensos desafios dessa pandemia”, afirmou.

De autoria do senador Fabiano Contarato (Rede-ES), a proposta fixa o salário base dos enfermeiros em R$ 7.315, dos técnicos de enfermagem em R$ 5.120 e dos auxiliares de enfermagem e parteiras em R$ 3.657. A relatora, senadora Zenaide Maia (Pros-RN) apresentou um texto alternativo em que fixa a jornada máxima em 30 horas semanais e a entrada em vigor um ano após a publicação da lei.

Mesmo sendo votada a nível federal, o líder do governo na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), Zezinho Sobral (Podemos), demonstrou apoio à classe. Os enfermeiros são os grandes gestores de crise no hospital. Quem gerencia crise em hospital é o enfermeiro. Médico tem uma função mais específica do paciente. Defendo o piso, defendo as horas, defendo a categoria no geral. É no Congresso Nacional, mas a gente apoia. Precisamos valorizar esses profissionais. Tanto enfermeiros quanto para técnicos. Eles são grandes resolvedores”, afirmou ele nesta terça-feira (4).

A líder da oposição na Câmara Municipal de Aracaju (CMA), Emília Corrêa (Patriota), também é favorável ao projeto e destacou os benefícios para os enfermeiros. “A proposta propõe não apenas valorizar, mas reconhecer o trabalho desses profissionais, ampliando direitos, melhores condições de trabalho, de educação e e de aperfeiçoamento profissional”, afirmou a vereadora.

Quem também se pronunciou e pressionou a votação do piso salarial da categoria foi o ex-deputado federal André Moura. “Essa é uma reivindicação legítima da categoria. A apreciação e aprovação da modificação da carga horária de trabalho e estabelecimento de piso salarial representará melhoria na qualidade de vida desses profissionais. Nossos representantes não podem ceder ao lobby empresarial e deixar, mais uma vez, passar essa oportunidade de corrigir um erro histórico”.

Já o Conselho Regional de Enfermagem de Sergipe (Coren-SE) pressiona representantes do Senado para que PL entre em votação. “Alguns senadores já começaram a demonstrar apoio à aprovação do Projeto de Lei n’ 2564 de 2020 (PL 2564/2020). A luta não pode parar!”, afirmou o órgão.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Justiça determina que empresas de ônibus limitem número de passageiros em Aracaju

Justiça
Mais Lidas
Publicidade