Política


PTC vai acionar Justiça para vaga de suplência na Assembleia Legislativa de Sergipe


Publicado 26 de junho de 2020 às 07:56     Por Peu Moraes     Foto Jadilson Simões / Rede Alese

Presidente do Partido Trabalhista Cristão (PTC) em Sergipe, Adelson Almeida, disse que o jurídico da legenda vai acionar a Justiça para requerer a primeira suplência de deputado na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), após a ida de Sheyla Galba para o Cidadania no começo deste ano para disputar uma vaga na Câmara Municipal de Aracaju.

“O entendimento do nosso setor jurídico é de que a vaga de suplência e uma possível cadeira na Alese após as eleições municipais pertence ao partido e não ao candidato. Por esse motivo, vamos acionar os órgãos competentes para colocamos nosso filiado João Marcelo como primeiro suplente de deputado estadual”, afirmou ao AjuNews, nesta quinta-feira (25).

A reportagem questionou se Sheyla foi alertada pelo PTC sobre uma possível perda da suplência na Alese caso desembarcasse do partido fora da janela partidária para deputado. “Acredito que ela tenha sido avisada pelo jurídico do PTC ou pelo próprio Cidadania, atual partido dela. No entanto, lamento muito que ela tenha saído da nossa legenda porque acreditamos em sua bandeira de luta e toda situação pessoal que passou. Sheyla é uma estrela e desejo que seja eleita vereadora”, explicou.

Eleições e conversas com outras legendas
Adelson afirmou também que o PTC tem buscado dialogar com todos os partidos, exceto com legendas de esquerda e centro-esquerda, pois em seu entendimento foge do viés defendido pela sigla.

“Conversei com o PSB, PSDB, PRTB e DC. Nesta sexta-feira, tenho reunião com Rodrigo Valadares do PTB e seu irmão, Fábio Valadares presidente do PSL em Sergipe. Queremos fortalecer o partido visando a possibilidade de elegemos um deputado federal em 2022”, ressaltou.

Ainda segundo o presidente da sigla, a legenda apenas não teve conversa no momento com DEM, Cidadania e PSC, mas buscou diálogo com todos. “Tenho respeito pelos presidentes desses partidos aqui no estado e as portas estão abertas para um possível acordo político”, disse.

Questionado sobre um possível apoio à reeleição de Edvaldo Nogueira (PDT), em Aracaju, Adelson teceu criticas ao gestor da capital sergipana que em sua avaliação foi omisso em não abrir leitos de Unidade de terapia Intensiva (UTI) para pacientes diagnosticados com o novo coronavírus (covid-19).

“Não existe possibilidade de fechamos aliança com um gestor de esquerda e comunista, que preferiu gastar milhões com publicidade ao invés de abrir leitos de UTI para atender pessoas com coronavírus. Ele e o governador optaram por politizar a crise sanitária”, finalizou.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.