Saúde


Novembro Azul: Pandemia afetou exames e prevenção ao Câncer de Próstata, revela pesquisa


Publicado 22 de novembro de 2021 às 20:45     Por Redação AjuNews     Foto Reprodução / EBC

Um dos maiores desafios no combate ao câncer de próstata é cultural: homens se cuidam menos e muitos têm preconceito em relação aos exames de rastreamento. Uma pesquisa realizada pela Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) revelou que a procura por cirurgias eletivas urológicas caiu 50% na pandemia de covid-19. Desses, cerca de 90% afirmaram que houve uma redução em 50% das cirurgias eletivas, e 54,8% relataram que as cirurgias de emergências diminuíram pela metade.

O problema, apontam médicos e especialistas, é que muitos deixaram de detectar diversos cânceres nos estágios iniciais, quando as chances de cura são mais altas e os tratamentos menos agressivos. A oncologista Mariane Fontes explicou que o diagnóstico precoce é importante no processo de cura do paciente.

“Um dos principais objetivos do diagnóstico precoce, além de permitir a adoção de tratamentos menos invasivos e promover chances de cura que podem passar de 90%, é evitar que o paciente tenha outros impactos à saúde em geral. É importante ressaltar que nem todos os pacientes diagnosticados com câncer de próstata necessitam de tratamento. A vigilância ativa poupa os pacientes de possíveis efeitos colaterais do tratamento cirúrgico ou radioterápico, e é segura para pacientes bem selecionados”, afirmou a médica.

Por outro lado, ela ressalta que quando o câncer de próstata é identificado em estágios mais avançados, o tratamento se torna necessário, e a forma mais usual de tratamento consiste na modulação da produção de hormônios masculinos, em especial a testosterona. “A falta desse hormônio pode gerar, entre outros, elevação no risco de doenças cardiovasculares, impotência sexual, osteoporose e distúrbios cognitivos”, frisou.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), por ser um tumor silencioso, a grande maioria é apenas diagnosticada em fase avançada. O câncer de próstata deve atingir 65.840 pessoas em 2021. Cerca de 75% dos casos atingem homens com 65 anos ou mais e a doença mata mais de 15,5 mil brasileiros todos os anos. E com o atraso ainda maior nos exames em 2020 e 2021, o cenário tende a se agravar, com um aumento de casos em estágios mais avançados sendo detectados a partir do próximo ano.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.