Cidades


Prefeitura divulga protocolo sanitário para retomada das aulas presenciais em Aracaju


Publicado 12 de janeiro de 2021 às 16:43     Por Larissa Barros     Foto Ana Lícia Menezes / Prefeitura Municipal de Aracaju

O protocolo sanitário para retomada das aulas presenciais em Aracaju, foi divulgado pela prefeitura da capital sergipana, nesta terça-feira (12), com medidas de prevenção da infecção pelo novo coronavírus.

Segundo a gestão municipal, o documento foi elaborado por um comitê técnico, com base na portaria conjunta do Governo Federal e considerando o quadro epidemiológico local. As aulas nas escolas particulares estão autorizadas a retomar na próxima segunda-feira (18). Já nas escolas públicas, o retorno ocorrerá em 22 de março.

“O protocolo traz todas medidas necessárias para que a retomada das aulas ocorra de maneira segura. São medidas que serão tomadas pelas escolas obrigatoriamente, como as questões de higiene, medição de temperatura e distanciamento social, além do transporte escolar, que será fiscalizado pela Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito, disse o prefeito Edvaldo Nogueira (PDT).

De acordo com o gestor da capital, o documento também traz medidas individuais para professores, alunos e demais profissionais.

Ao todo, o protocolo estabelece sete medidas institucionais de segurança sanitária e seis medidas individuais (para profissionais da educação, alunos e responsáveis). As medidas institucionais foram divididas nas áreas educativas; de distanciamento social; sobre uso de máscaras; de limpeza e desinfecção; de controle de temperatura; de cuidados com as pessoas com suspeita de contaminação e de uso do transporte escolar.

Já com relação às medidas institucionais, caberá à unidade de ensino, no que diz respeito às medidas educativas, desenvolver ações de divulgação das medidas preventivas e promover atividades educativas sobre higiene de mãos e etiqueta respiratória (conjunto de medidas comportamentais que devem ser tomadas ao tossir ou espirrar) e uso obrigatório da máscara.

Segundo a prefeitura, a escola deve reorganizar as salas de aula ou fluxo de alunos para cumprir o distanciamento mínimo 1,5 metros entre pessoas e suspender temporariamente atividades em grupos de alunos, assim como jogos, competições, festas, reuniões, comemorações e atividades que envolvam coletividade.

Além disso, as instituições de ensino devem assegurar a utilização obrigatória de máscara, que deve ser trocada a cada três horas ou quando apresentar umidade ou sujidade. As máscaras para proteção individual devem ser de dupla face; de uso individual; ser confeccionada preferencialmente em tecido de algodão, tricoline ou TNT; cobrir totalmente o nariz e a boca e ser higienizada corretamente.

O protocolo estabelece também que caberá às escolas intensificar a frequência dos procedimentos de limpeza e desinfecção de instalações sanitárias e todas as superfícies de grande contato. Além disso, as instituições também devem aferir a temperatura corporal dos funcionários e alunos na entrada, restringindo o acesso e orientando a buscar o Sistema de Saúde caso esteja acima de 37,8ºC ou apresentem sintomas respiratórios.

Já no caso de pessoas que apresentem suspeita de contaminação, as escolas devem criar um ambiente para promoção do isolamento imediato de qualquer pessoa que apresente os sintomas característicos de contaminação, orientando-a e a seus familiares, a seguirem os procedimentos indicados pelas autoridades de saúde pública.

Por fim, o protocolo estabelece também que o motorista do transporte escolar e a equipe de suporte devem desinfectar e higienizar o veículo duas vezes ao dia e garantir o uso de máscara por todos, além de planejar para que os assentos fiquem espaçados.

 



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

STF rebate Bolsonaro e diz que não proibiu governo federal de agir contra pandemia da covid-19

Justiça
Mais Lidas
Publicidade