Entrevista


Bispa Vanilda avalia que qualidade de vida em Aracaju pode melhorar com abertura de mais igrejas


Publicado 12 de novembro de 2020 às 07:36     Por Roberta Cesar     Foto Arquivo Pessoal

A bispa Vanilda (PSL), que ocupa a vice na chapa do candidato à prefeitura de Aracaju Rodrigo Valadares (PTB), avaliou durante entrevista ao AjuNews que a qualidade de vida na capital sergipana pode melhorar com a abertura de mais igrejas.

“A gente pretende realmente fazer não só o bairro da Coroa do Meio, enfim, em todos aqueles que a gente tem passado, darem qualidade de vida abrindo mais igrejas porque nós cremos que realmente a igreja faz diferença dentro da cidade. Então, eu acredito que vai somar profundamente dentro da prefeitura”, ressaltou.

A religiosa também destacou que, em caso de vitória no pleito eleitoral, pretende colocar em prática os princípios do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). “Não me importa essa questão ‘vai ter dificuldade porque vocês são da direita ou da esquerda’. Eu olho para os princípios que Bolsonaro tem, e esses princípios que a gente quer colocar eles em prática em Aracaju, se Deus permitir”, disse.

Ainda na oportunidade, Bispa Vanilda comentou como pretende ajudar Rodrigo Valadares em uma possível gestão, planos para tentar melhorar a capital sergipana e as diferenças de personalidade e idade que existem entre ela e o prefeiturável.

Leia a entrevista completa:

AjuNews: Como você pretende ajudar Rodrigo a solucionar problemas em Aracaju?
Bispa Vanilda: Primeiro, já existe um plano diretor para se cumprir, então, a gente vai caminhar em cima deste plano. Eu acredito que dentro desta caminhada que a gente tem feito, a gente tem observado, visto o que a cidade realmente está precisando, o que cada bairro está precisando e como existe na minha pessoa não só a questão bispa, porque todo mundo diz “bispa Vanilda, bispa Vanilda” e eu não sou só bispa, eu sou arquiteta urbanista. Então, eu entendo um pouco de cidade, da urbanização da cidade, paisagismo da cidade. A gente estudou um pouquinho sobre isso na faculdade e trabalhamos, eu trabalhei 10 anos. E também a parte de psicologia, que hoje é o que eu realmente atuo, eu tenho consultório, a gente tem o projeto “Tudo pela vida”, onde a gente está trabalhando com pessoas que está tentando se matar, se mutilando. Então, essa parte da assistência social a gente tem lidado com muita graça. E a gente está aí, a própria igreja nos dá esta experiência, nos dá esta caminhada, porque na igreja a gente lida com gente. Eu não lido só com gente na parte da igreja, eu tenho o consultório, tenho o projeto e além de tudo, sou apaixonada e eu respiro gente. Então, eu acredito que a gente vai poder fazer uma caminhada bem junto nessa área, eu acho que a cidade só tem a ganhar comigo e com o Rodrigo.

AjuNews: No pleito deste ano, cinco mulheres são vices. A senhora defende um discurso em favor dos direitos das mulheres? De que forma a senhora pretende alinhar este ponto com o Rodrigo e implementar medidas a favor das mulheres numa possível vitória?
Bispa Vanilda: Primeira coisa, eu sou mulher, então a gente entende realmente o que passa e o que sofre a mulher dentro de Aracaju. E o que eu pretendo? Eu pretendo dar qualidade de vida para a mulher. E, quando eu falo de qualidade de vida, eu falo no âmbito emocional, espiritual e natural porque quando a gente olha para a mulher profissionalmente, a gente vê que a mulher trabalha tanto quanto o homem e existe ainda uma desigualdade. Nós pretendemos chegar nessa desigualdade por quê? Porque a gente trabalha, e trabalha muito, porque quando você trabalha fora e chega em casa, quem é mãe tem criança para cuidar, a gente tem casa para olhar e a gente tem marido para ser esposa e onde vai a mulher “eu”? Então eu pretendo olhar isso de pertinho porque o que a gente mais encontra dentro de consultório são mulheres profissionais boas frustradas porque ela perdeu o outro lado, que é o lado de ser mulher. E eu quero ter este olhar para mulher porque eu acredito que a gente consegue.

AjuNews: Nestes últimos anos, percebemos uma alta na candidatura de postulantes religiosos. Em seu caso, a senhora é bispa, como este conhecimento pode te ajudar na prefeitura de Aracaju? No que a senhora pode somar na administração da capital e que mudanças pretende implementar?
Bispa Vanilda: É muito interessante falar dessa questão de bispa, religião, porque é algo que a gente vive na pele. A gente tem uma caminhada do lado de cá. Então agora a gente está atravessando a caminhada, se Deus o permitir. É muito interessante saber o que a gente pode contribuir. Primeira coisa, eu vejo que a instituição religião é uma instituição que realmente tem ajudado profundamente a prefeitura e ela não tem sido, ainda, reconhecida com os valores que ela tem, por exemplo, nós tiramos pessoas da rua, nós tiramos as pessoas do vício sem termos casa de recuperação, a maioria de nós de igrejas não temos. Eu acho que nós deveríamos ter uma parceria com a prefeitura, é um projeto nosso. A gente pode ter cursos profissionalizantes dentro da própria igreja, porque a gente tem salas e mais salas paradas a semana inteira. Existem “n” coisas que pode se colocar em pauta para prefeitura trabalhar. A questão de IPTU [Imposto Predial e Territorial Urbano], a questão de isenção de taxas que a gente poderia, por ser uma instituição totalmente religiosa, ter isso e nós não somos vistos. Por exemplo, a gente tem um projeto na nossa pauta de realmente termos como ajudar em eventos. A gente faz eventos e tem que ficar mendigando a pessoas que entraram em cargos políticos para nos ajudar e a gente é uma instituição que vota, tem num sei quantos mil votos. Eu acredito que nós realmente podemos atuar de uma forma que nós podemos ter uma cidade melhor, uma Aracaju melhor. A gente pretende realmente fazer não só o bairro da Coroa do Meio, enfim em todos aqueles que a gente tem passado, darem qualidade de vida abrindo mais igrejas, porque nós cremos que realmente a igreja faz diferença dentro da cidade. Então, eu acredito que vai somar profundamente dentro da prefeitura.

AjuNews: A gente que está de fora percebe que você e Rodrigo têm personalidades diferentes. Como vocês conseguem ornar seus projetos e pretendem colocar em prática na prefeitura de Aracaju.
Bispa Vanilda: A gente não tem só a personalidade, mas a gente tem diferença de idade imensa, Rodrigo tem 31 e eu tenho 61. A gente tem a questão que ele é homem e eu sou mulher, a gente tem diferença de temperamento, Rodrigo é bem mais agitado, eu sou calma, serena, não só por ser mulher, mas a minha natureza é de ser calma. Eu acredito que realmente é uma parceria, é um casamento maravilhoso por que? Um vai dar equilíbrio no outro. Eu acho que Rodrigo tem uma caminhada boa de identidade e ele sabe onde está o limite dele e eu sei onde está o meu. Ele tem uma identidade, eu tenho outra e além disso a gente se conhece muito porque eu sou a bispa de Rodrigo, quem apresentou Jesus para Rodrigo foi a esposa dele, meu filho e eu. E também sou a terapeuta que cuida de Rodrigo, então é fácil. Politicamente ele hoje está me ensinando porque eu sou uma mulher que estou na política, mas eu nunca tive um olhar para a política. A nossa vontade é realmente fazer de Aracaju uma cidade que realmente seja modelo. Eu acredito que não vamos ter dificuldade como tentam ver com a questão de idade, com a questão de temperamento, que é totalmente diferente de mim, mas eu entendo ele e ele me entende e por isso eu acho que a gente está fazendo essa caminhada juntos.

AjuNews: Vocês são uma chapa de direita e apoiam o atual presidente Jair Bolsonaro. Na última eleição, o presidente perdeu aqui em Aracaju. Tendo em vista as últimas gestões que são de esquerda, você considera que por ser de direita enfrenta mais um mais desafio na disputa pelo pleito?
Bispa Vanilda: Quanto a questão de direita ou esquerda, o que eu vejo? O que me leva a olhar não é a questão Bolsonaro, é a questão de princípio. Os princípios que Bolsonaro acredita e vive é o que eu vivo e é o que eu quero poder dar para essa cidade. Têm pessoas que não gostam, acham Bolsonaro grosso, eu não estou olhando isso. O que me importa com Bolsonaro é a questão família, é a questão criança, a forma que ele enxerga, que ele protege a criança. As nossas crianças hoje, que são os nossos líderes de amanhã, o nosso presidente de amanhã, elas têm sido esquecidas. Que qualidade de vida a cidade dá para uma criança? Quando você passa por Aracaju, você não vê uma praça para uma criança brincar. Não me importa essa questão “ah, vai ter dificuldade porque vocês são da direita ou da esquerda”, eu olho para os princípios que Bolsonaro tem, e esses princípios que a gente quer colocar eles em prática em Aracaju, se Deus permitir.

AjuNews: Qual a sua avaliação sobre a atual gestão de Edvaldo Nogueira?
Bispa Vanilda: Avaliar o outro não é fácil e ao mesmo tempo é fácil porque andando como a gente tem andado e vivendo o que a gente viveu nessa pandemia, não é difícil falar. Uma das coisas que me chamou muita atenção, não só minha, mas eu creio que dos evangélicos, nós ficamos eu acho que por volta de quatro meses fechados, com porta fechada, sem direito de nada. Para completar, quando começou a abrir as coisas, a primeira coisa que abriram foram motéis. A questão também que não foi dado valor nenhum às pessoas que ganham pão, os comerciantes, essas pessoas que ficam com suas banquinhas vendendo. A gente viu tanta injustiça que doía porque as pessoas estavam lutando para sobreviver, como muitos fecharam suas empresas e tiveram prejuízos. Então, eu vejo que a gente passou por muito sofrimento. Enquanto também a gente vê é a questão das nossas crianças, das nossas famílias, que não existe uma importância nenhuma. Existe as coisas para os pobres, não tem lazer, não tem opção de escola, não tem opção de creche, não tem opção de nada para quem não é da classe alta. Agora a gente vê que a classe alta ela tem alguns privilégios, por exemplo, no governo dele, nesses oito anos, ele praticamente cuidou da classe alta. Você olha o asfalto existe e apesar que a gente tem uma questão muito forte que, nesses oito anos, ele não deu conta de resolver que é a questão da chuva. Enche tudo, alaga tudo, gente perde carro. Quando chove em Aracaju a gente tem que ficar dentro de casa, ilhados. Então são coisas que a gente vê que pode se arrumar, poderia ter sido feito. Eu acredito que ele teve oportunidade com a gente pode ter e podemos realmente caminhar para não cometer os mesmos erros e assim fazer uma cidade para todos e não para uma classe só.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Justiça condena TV Globo a pagar R$ 65,4 mil a primeira vencedora do “Caminhão do Faustão”

Justiça
Mais Lidas
Publicidade


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.