Política


Governo de Sergipe contrata hotel por quase R$ 1 mi para alojar profissionais da Saúde


Publicado 14 de abril de 2020 às 21:47     Por Habacuque Villacorte     Foto Divulgação/Internet

A Secretaria de Estado da Saúde contratou, através de dispensa emergencial de licitação, o Hotel MEPS Executive S/A, que fica próximo ao Hospital de Urgência e Emergência (HUSE), em Aracaju, com uma vigência de até 180 dias, conforme extrato publicado no Diário Oficial dessa terça-feira (14).

O valor global do contrato é de R$ 960 mil, para acolhimento dos profissionais de Saúde lotados nas unidades vinculadas à Pasta, durante o período de combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19). Não custa lembrar que, recentemente, o Governo do Estado enviou uma mensagem e conseguiu o reconhecimento de Calamidade Pública pela Assembleia Legislativa até 31 de dezembro.

Contrato emergencial feito pela Saúde/SE

Procurada pela reportagem do Portal Aju News para dar detalhes desse contrato emergencial, a Secretaria de Estado da Saúde, através da sua assessoria, informou a contratação de um hotel para abrigar profissionais de saúde que venham ficar contaminados pelo Covid-19, ou que estejam com suspeitas precisando aguardar a confirmação, deu-se dentro de todas as regras da contratação pública emergencial, levando em conta os critérios técnicos necessários para o bom atendimento dessas pessoas que venham a ficar doentes no nobre exercício do trabalho de salvar vidas.

“O valor do aluguel mensal é de R$ 160 mil, incluindo toda a infraestrutura de 65 apartamentos, recepção, segurança, manutenção, logística, tarifas, despesas com taxas e impostos, podendo ser usado por um período que pode variar de um a seis meses, a depender da necessidade. Vale lembrar que essa é uma prática que está sendo implementada em todo o país e visa resguardar os profissionais de saúde contaminados com o coronavírus, bem como, seus familiares, pois esse profissionais poderão passar suas quarentenas em local apropriado e seguro”, completa a nota da Secretaria.

Repercussão

Em vários grupos de whatsApp o assunto despertou uma série de comentários, de reconhecimento e críticos à medida. Recentemente, o Ministério do Turismo (MinTur) chegou a sugerir, como alternativa ao combate da pandemia, a disponibilização de hotéis, em especial os localizados próximos a hospitais, para abrigar profissionais de saúde na linha de frente do tratamento de pacientes. A ideia do MinTur é que enfermeiros, médicos e demais trabalhadores poderiam se deslocar com mais agilidade e segurança par ao hospital, protegendo suas famílias de serem infectadas.

É importante também que a Secretaria de Estado da Saúde explique as razões para o Governo não esperar uma definição do Ministério do Turismo, diretamente com os hotéis, e porque ele mesmo formalizou um decreto emergencial, sendo que dos 46 casos de pacientes infectados com o coronavírus no Estado, 26 já receberam alta, quatro vieram a óbito e apenas cinco permanecem internadas, ou seja, a situação em Sergipe continua estável.

Exemplo de Santos

No litoral paulista, a cidade de Santos, com mais de 430 mil habitantes, nessa terça-feira (14), o município contabilizou 18 óbitos por conta do Covid-19, com 270 casos confirmados. A Prefeitura local está abrindo hospedagem em um hotel para os profissionais que atuam na linha de frente no combate ao coronavírus, a fim de preservar a saúde dessas pessoas e de seus familiares.

Só que a hospedagem não se deu por contrato emergencial. Os recursos foram assegurados através de uma emenda estadual que será destinada para financiar parte do programa e toda a alimentação fornecida no hotel será adquirida nos comércios locais, para fomentar a economia.

Exemplo de Pernambuco

Outro bom exemplo é o Governo de Pernambuco que já fez sondagens com empresários do trade para verificar a possibilidade deles disponibilizarem apartamentos para os profissionais da Saúde e vários hotéis da região Metropolitana do Recife (PE) já estão sendo mapeados, para um acordo, possivelmente, a preço de custo.

Rede OYO

Por sua vez, a Rede OYO Brasil já abriu as portas de alguns de seus hotéis para médicos e enfermeiros, que estão na linha de frente na luta contra o COVID-19. Esses profissionais da saúde estão recebendo acomodações gratuitas em hotéis estrategicamente mapeados, que estão em um raio de até cinco quilômetros de distância de importantes hospitais da rede pública e privada, possibilitando um local para descanso perto do trabalho ou hospedagem caso estejam enfrentando dificuldades para voltar para casa.

Rede Bourbon

Já a rede de hotéis Bourbon decidiu oferecer ao governo federal sua infraestrutura no combate ao novo coronavírus. A ideia dos representantes da rede é utilizar os hotéis espalhados por Brasil, Paraguai e Argentina como uma opção para ajudar na recuperação de quem for contaminado pelo vírus. A iniciativa é nacional, mas pode atingir as necessidades de falta de leito para pacientes nos hospitais das principais capitais do País.

 

Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

OAB considera inconstitucional suspensão do pagamento integral da Vaep em Aracaju

Justiça
Mais Lidas
Publicidade