Polícia


Comerciante paraibano morre após ser baleado pela Polícia Civil de Sergipe


Publicado 19 de março de 2021 às 08:05     Por Larissa Barros     Foto Reprodução / TV Paraíba

Um comerciante paraibano morreu após ser baleado durante uma operação da Polícia Civil de Sergipe, na cidade de Santa Luzia, na Paraíba, na noite da terça-feira (16). Gefferson Moura, 32 anos, teria sido morto por engano pela polícia sergipana.

De acordo com a família, Gefferson havia saído de João Pessoa em viagem para Cajazeiras, interior da Paraíba, após saber que o pai foi diagnosticado com covid-19. O defensor não tinha registro de passagem pelo sistema judicial.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil de Sergipe, Tiago Leandro, o Departamento de Narcóticos (Denarc-SE) realizava uma ação oficial na região, bem como em outros estados do Nordeste, para combater uma quadrilha especializada em tráfico de drogas interestadual.

Ainda de acordo com os agentes, a polícia abordou um veículo Peugeot, de cor vermelha, do advogado Gefferson, em uma barreira policial para a apreensão de um carregamento de substâncias entorpecentes no estado da Paraíba, próximo à divisa com o Rio Grande do Norte.

“Segundo relatos dos policiais, que já prestaram depoimento junto à Polícia Civil da Paraíba, Gefferson estaria armado com uma pistola e havia esboçado reação. Então, os policiais reagiram. Houve a prestação imediata de socorro médico. Os policiais levaram Gefferson para o hospital municipal mais próximo e depois a equipe, visando a transparência da apuração dos fatos, se deslocou até uma delegacia plantonista para prestar esclarecimentos”, disse o delegado Tiago Leandro.

Segundo a autoridade policial da plantonista da Paraíba, Gaudêncio Jerônimo de Souza Neto, o delegado da Polícia Civil de Sergipe, que responde pela operação realizada em Santa Luzia, relatou que ao abordar o veículo de Gefferson, pediu para que ele acendesse a luz interna do carro, e o advogado teria informado que estava quebrada.

“O policial se aproximou do veículo para ver se tinha mais ocupantes ou volume de carga, e ao se aproximar, percebeu um volume metálico nas pernas do condutor. Então ele pediu para o condutor colocar as mãos para fora do veículo, o que não foi obedecido e, ao invés disso, o delegado percebeu que ele fez um movimento em direção às pernas, e então disparou contra a vítima. A equipe de Polícia Civil de Sergipe socorreu a vítima até a unidade de saúde, quando, na entrada do hospital, os socorristas atestaram o óbito”, descreve o delegado.

Ainda de acordo com o delegado sergipano, os policiais sergipanos apresentaram o veículo do advogado Gefferson, o qual passou por uma perícia, e também entregaram as armas de fogo, do delegado que efetuou os disparos e da vítima.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Justiça nega recurso de Danielle em ação por danos morais de Edvaldo

Justiça
Mais Lidas


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.