Política


Eduardo Amorim diz que PSDB não defende possível aliança do PT com PL e PSC em 2022: “questão de coerência”


Publicado 25 de janeiro de 2021 às 13:33     Por Fernanda Sales     Foto Pedro França/Agência Senado

Presidente estadual do PSDB, o ex-senador Eduardo Amorim afirmou que o seu partido não defende a possível aliança do PT com o PL e o PSC para as eleições em 2022. Segundo ele, em entrevista nesta segunda-feira (25) à Jornal FM, “é uma questão de coerência”.

A possiblidade de aliança dos partidos vem sendo cogitada na imprensa com o nome do senador Rogério Carvalho (PT) como candidato a governador de Sergipe, tendo como seu candidato a vice-governador, o ex-prefeito de Itabaiana Valmir de Franciscinho (PL) e na mesma chapa, o ex-deputado federal André Moura (PSC) como candidato ao senado.

Para Eduardo Amorim, as pessoas estão esquecendo da coerência. “A coerência é um princípio que deveria ser usado por todos nós. Claro que o PSDB não participa. O PSDB não foi convidado e as pessoas sabem que por questão de coerência esse não é um projeto que o partido compartilha. Respeito a decisão de cada um, sou aliado de Valmir de corpo e alma, mas nesse projeto, claro que não”, informou o presidente da sigla em Sergipe.

Questionado se ouviu Valmir falar sobre a possível aliança, Eduardo disse que nunca ouviu o assunto. “Achei muito estranho alguns setores da imprensa estar conversando sobre isso, porque em Itabaiana o PT foi adversário de Valmir e não foi qualquer adversário, foi adversário duro, ferrenho, muitas vezes com críticas infundadas”, acrescentou ele.

Segundo o ex-senador, o PSDB vai continuar mantendo o diálogo com vários outros partidos. “O PSDB vai participar desse diálogo como a gente sempre fez para melhorar Sergipe. Por isso que as pessoas precisam saber quem é verdadeira oposição, que reprovam o que é ruim, mas reconhece o que é bom, sempre mantendo a coerência”.

João Daniel responde posição do PT
Deputado federal e presidente do PT em Sergipe, João Daniel informou ao AjuNews que “o PT não teve ainda essa discussão, mas pretende sim estar disputando cargo majoritário nas eleições de 2022”. Segundo o presidente da sigla, “isso será debatido em 2022 sob a liderança do governador Belivaldo Chagas”.

“O PT está no bloco que hoje é governado por Belivaldo Chagas, temos uma relação muito boa, continuamos nesse bloco que tem uma aliança que vem avançando em todos os sentidos. Tem sido um projeto vitorioso e, por isso, cabe a todos que vierem apoiar dentro desse projeto no qual acreditamos. Todos os partidos que compõem esta base têm direito de pleitear em 2022 a candidatura majoritária, tanto a governo, como a vice quanto ao senado”, respondeu.

Segundo o deputado, o PT tem interesse na vaga de governador, mas que “estamos conversando com todos como sempre conversamos. “A nossa orientação partidária, junto com o senador Rogério [Carvalho] é avaliar e discutir na hora certa, portanto não há nenhuma discussão nesse momento”, contou o deputado, que em entrevista a Jornal FM, afirmou que não ver “nada impossível e nada possível” sobre esta aliança.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Rachel Sheherazade pede R$ 19 milhões em indenização trabalhista ao SBT, diz site

Justiça
Mais Lidas
Publicidade