Política


Suposto áudio vazado de ex-secretário da Saúde indica favorecimento à campanha de Belivaldo Chagas


Publicado 17 de outubro de 2020 às 18:31     Por Eduardo Costa     Foto Divulgação / Governo de Sergipe

Nesta quarta-feira (14), vazou um suposto áudio atribuído a Valberto Lima, ex-secretário da Saúde em Sergipe, indicando um possível favorecimento à campanha do governador Belivaldo Chagas (PSD) em 2018. No áudio em questão, Valberto teria dito que a pasta ficou dedicada ao pleito durante vários meses daquele ano, vindo a planejar mais ações apenas quando Belivaldo assumiu o cargo em janeiro de 2019.

“O governador me ligou ontem para resolver esse negócio do HUSE, porque ‘o Huse tá cheio e não sei o que’. Rapaz, tem que reconhecer que a secretaria passou maio, junho, julho, agosto, setembro e outubro [de 2018] se adequando para a campanha, para a eleição dele. Na verdade, a gente começou a fazer saúde pública em janeiro [de 2019]”, afirma Valberto no suposto áudio.

O provável áudio repercutiu entre políticos do estado. O candidato a prefeito de Aracaju Almeida Lima (PRTB) afirmou que está levando o arquivo ao conhecimento do Ministério Público Federal, que chegou a entrar com uma ação eleitoral pedindo a cassação de Belivaldo Chagas em 2019.

“Trata-se de uma prova que pode ser juntada aos autos em grau de recurso no Tribunal Superior Eleitoral, para cassação do mandato do governador que fez uso da máquina do governo na sua campanha eleitoral, cometendo crime de omissão na prestação de serviços públicos, a saúde da população de Sergipe”, disse Almeida.

Já na Assembleia Legislativa do Estado de Sergipe (Alese), o deputado estadual Georgeo Passos (Cidadania) fez duas críticas ao fato. Segundo ele, ficou claro o apoio da secretaria da Saúde ao governador, e que a Alese precisa estar atenta para tomar as medidas cabíveis.

“Isso precisa de apuração e não é possível que esta Casa, mais uma vez, não fará nada. A Comissão tem que convidar o ex-secretário para que ele esclareça isso. É preciso abrir a caixa-preta da Saúde para a gente descobrir o que realmente está acontecendo lá dentro. Aquilo que Sergipe já sabia, agora o ex-secretário Valberto confirma no áudio”, declarou.

Já Zezinho Sobral (Podemos), líder do governo na Casa, minimizou o assunto e pediu uma contextualização maior da suposta fala. “Seria interessante que ele [Valberto] explicasse a metodologia para que a gente pudesse entender e interpretasse o que houve durante seu período na secretaria. Não somos delegados ou oficiais de polícia e nem auditores. Cada órgão tem sua função. Esta é uma questão, eminentemente, política e não faz sentido trazê-la”.

Outro lado
A reportagem entrou em contato com a Secretaria Estadual da Saúde e também com a Superintendência de Comunicação do Estado, mas até este sábado (17) não teve nenhuma resposta.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Bolsonaro diz que juiz não pode decidir sobre obrigatoriedade de vacina contra covid-19

Justiça
Mais Lidas
Publicidade


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.