Saúde


Idosa que recebeu doses diferentes de vacinas contra covid-19 terá imunidade avaliada em 14 dias


Publicado 06 de abril de 2021 às 18:21     Por Fernanda Souto     Foto Divulgação/ UFS

A idosa de 75 anos que recebeu duas doses diferentes da vacina contra a covid-19, em Aracaju, será monitorada pela Força-Tarefa de combate à doença da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Na primeira dose, ela recebeu a CoronaVac, e na segunda dose, a Astrazeneca. O caso ocorreu nesta segunda-feira (5).

De acordo com o professor Lysandro Borges, o objetivo é descobrir se a idosa desenvolverá anticorpos contra a doença mesmo após receber doses de imunizantes diferentes. “Esse tipo de pesquisa ainda está no início em outros países. Com isso, nós queremos aprofundar o estudo sobre a questão aqui em Sergipe”, disse.

Ainda segundo ele, daqui a 14 dias ela fará um teste para avaliar o grau de imunização. “Depois desse período, caso ela apresente anticorpos contra à doença, não será necessária uma terceira dose porque ela já estará imunizada. Mas se após esse tempo for constatado que ela não desenvolveu os anticorpos, será preciso uma terceira dose”, detalhou.

O docente também explicou que, no caso de uma terceira dose, a idosa irá realizar outro teste após 14 dias da aplicação para checar se a imunidade contra a doença foi efetiva. “É uma avaliação nova que estamos fazendo sobre esse mix de vacinas. Mas a partir do resultado que colhermos, teremos um norte para trabalharmos sobre o assunto”, explicou o professor.

Leia mais:
Idosa recebe doses diferentes de vacina contra covid-19 em Aracaju; Secretaria de Saúde confirma erro



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Rachel Sheherazade pede R$ 19 milhões em indenização trabalhista ao SBT, diz site

Justiça
Mais Lidas
Publicidade