Justiça


Dejetos sem tratamento do mercado público de Japoatã são despejados em lagoa de lixo, constata fiscalização


Publicado 03 de agosto de 2022 às 14:04     Por Roberta Cesar     Foto Ascom / FPI-SE

Foram constatadas irregularidades sanitárias no mercado público no município sergipano de Japoatã após a Fiscalização Preventiva Integrada (FPI-SE), nesta terça-feira (2). A Coordenadora da equipe Abate, Salete Dezen, afirmou que o mercado de carnes e peixes está muito aquém de se ajustar às normas sanitárias e ambientais vigentes para atender a população. “Todos os dejetos do mercado – de lavagem que ocorre após a feira, dejetos de carne, peixe e aves – são despejados diretamente numa lagoa, que fica em frente ao mercado, sem qualquer tipo de tratamento. Os resíduos ficam depositados a céu aberto”, destacou.

O presidente do Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco (CBHSF), Maciel Oliveira, explicou que o acúmulo de resíduos sem tratamento contamina não só o solo como também os lençóis freáticos e os corpos hídricos que fazem parte da Bacia Hidrográfica do São Francisco. A equipe Abate também constatou que não há rede elétrica que possa sustentar o uso de freezer dentro do mercado. “Não existe pia, lavatório para mãos, nem para limpeza do mercado. Há deficiência de tudo”, afirmou Salete.

De acordo com os técnicos da FPI, no local, as carnes são expostas diretamente sobre as bancas, há acúmulo de sujeiras no chão, circulação de cachorros dentro do espaço, os ganchos onde se penduram as carnes estão enferrujados, as mesas de corte danificadas e engorduradas.

Ainda conforme a FPI, devido a decisão judicial que ordenou o município a fazer adequações sanitárias no local, o mercado está passando por obras. No entanto, a equipe Abate constatou que as atividades que estão sendo feitas não são de adequação sanitária, mas apenas de reparos. Não existe projeto para as obras de adequação sanitária e nem licença ambiental para execução delas. A visita ao mercado público de Japoatã foi acompanhada pelo promotor de Justiça que atua no município. O relatório da equipe Abate com todos os detalhes da fiscalização será encaminhado ao Ministério Público Estadual para as devidas providências.

Leia mais:
Ministérios Públicos realizam fiscalização no Rio São Francisco e nas comunidades ribeirinhas em Sergipe



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

TCE-SE encaminha à Justiça Eleitoral lista de gestores que tiveram contas reprovadas

Justiça
Mais Lidas


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.