Polícia


Em Sergipe, foram registradas 76 pessoas presas tentando entrar com drogas em presídios


Publicado 19 de maio de 2022 às 19:00     Por Quesia Cerqueira     Foto Reprodução / Ascom SEJUC

A Secretaria de Estado da Justiça, do Trabalho e de Defesa ao Consumido (Sejuc/SE), que administra as unidades prisionais em Sergipe disponibilizou dados sobre os números de flagrantes nas unidades prisionais. De janeiro a abril deste ano, 76 pessoas foram presas tentando entrar nos presídios sergipanos com drogas escondidas. De acordo com o órgão, o Complexo Penitenciário Dr. Manoel Carvalho Neto (Copemcan), no município de São Cristóvão, concentrou o maior número de ocorrências, com 46 no total.

De acordo com o órgão, entre os entorpecentes apreendidos, a maconha foi o tipo mais comum, totalizando 2,716kg. Seguindo pela apreensão de cocaína, com 289g identificadas durante procedimento de revista via bodyscan. “Embora pareça pouco, pelo número de prisões, a quantidade de drogas apreendidas se justifica pela maneira que os suspeitos utilizam para esconder os entorpecentes nas cavidades do corpo. Os invólucros são pequenos, com 20g, 50g ou 100g”, explicou a assessoria de comunicação do órgão.

Além do Copemcan, o relatório da Sejuc revelou que houve flagrantes em outros presídios sergipanos. No Complexo Penitenciário Antônio Jacinto Filho (Compajaf), localizado no bairro Santa Maria, em Aracaju, foram 17 prisões. Já na Cadeia Pública de Areia Branca (CPAB) foram oito. Na Cadeia Pública de Estância (CPE), uma pessoa foi presa no período analisado, enquanto no Presídio Semiaberto de Areia Branca (Presab), três flagrantes foram feitos. No Presídio Regional Juiz Manoel Barbosa de Souza (Premabas), localizado no município de Tobias Barreto, uma pessoa também foi presa tentando introduzir drogas na unidade de segurança.

A Secretaria também informou que 776 policiais penais atuam em Sergipe, e estão distribuídos em 10 unidades prisionais, e também na Central Integrada de Alternativas Penais (Ciap) e na Central de Monitoramento Eletrônico de Presos (Cemep). O trabalho desses agentes, conforme destacado pela pasta, tem sido primordial para o sucesso das apreensões e prisões no Estado.

Dados de 2021

A Sejuc também apresentou um levantamento informando as ações desta natureza referente ao ano anterior. Durante os 12 meses de 2021, foram contabilizadas 92 prisões, Sendo o Copemcan a unidade que acumulou a maior parte dos registros, com 60 registros. Durante esse período foram apreendidos 6,452kg de maconha, 668g de cocaína e 47 pastilhas de LSD. 

Também foram divulgados registros no Compajaf, com 11 prisões, a Cadeia Pública de Estância, com uma ocorrência, Premabas, com oito casos e a Cadeia Pública de Areia Branca, com 12 flagrantes. “Ano passado, tivemos algumas limitações em razão da pandemia de Covid-19, que implicou na reorganização do processo de visitas. Por essa razão, existe essa proporção diferenciada em relação aos quatro primeiros meses de 2022”, destacou a assessoria.

 Fonte: Sejuc

 

 



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

STJ confirma exigência de exame toxicológico para renovação de CNH

Justiça
Mais Lidas


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.