Política


João Alves Filho: Político, companheiro e apaixonado pela família e por Sergipe


Publicado 25 de novembro de 2021 às 12:00     Por Roberta Cesar e Fernanda Souto     Foto André Moreira / Arquivo / prefeitura de Aracaju

Em Aracaju, no dia 3 de julho de 1941, nascia um dos grandes nomes da política sergipana, João Alves Filho. Falecido há um ano, aos 79 anos, o ex-governador do Estado deixou um grande legado, não só como político, mas também como pessoa. Ao AjuNews, a viúva e senadora Maria do Carmo Alves (DEM) falou sobre alguns aspectos da vida pessoal do seu marido e relembrou sua trajetória.

De acordo com a senadora, João era um homem inquieto devido ao ritmo intenso de trabalho que seguia. Apesar do tempo corrido, ele não deixava de se dedicar à família. Com seus três filhos e quatro netos, ele era “extremamente carinhoso” e sempre aproveitava com intensidade os momentos em que todos estavam juntos.

“Tivemos uma relação cheia de companheirismo, amizade e confiança, sentimentos com os quais construímos nossa família. Com os filhos e netos, João era extremamente carinhoso; um homem apaixonado pela família. Como todo político, tinha um tempo bastante comprometido e cheio de responsabilidades, mas aproveitava com intensidade os momentos em que estávamos todos juntos. Há um ano de sua morte, sentimos o quanto permanece vivo em nossas lembranças”, disse Maria.

No trabalho, João tinha uma rotina intensa, mas não deixava de tirar pausas para o seu lazer. Conforme Maria do Carmo, em seus momentos de descanso, o ex-governador fazia longas leituras ou escrevia. Era nestes momentos de escrita que ele, como pesquisador, se dedicava especialmente à questão hídrica do Nordeste, da qual acabou se tornando um especialista e escreveu livros sobre. “Nesses momentos de introspecção, ficava na biblioteca, absorto em seus pensamentos, lendo, escrevendo, escutando óperas e músicas clássicas, que eram suas preferidas”, afirmou.

Todo esse empenho na escrita levou o ex-governador a ser autor de diversos livros, o mais recente foi intitulado “Toda a verdade sobre a transposição rio São Francisco”. A obra foi lançada no dia 28 de outubro de 2008, na Livraria Escariz.

Trajetória política
João Alves era formado em engenharia civil e atuou no ramo de construção civil até ser indicado prefeito biônico de Aracaju (1975-1979). Foi ministro do Interior no governo de José Sarney, governador do estado de Sergipe por três mandatos (1983 a 1986, 1991 a 1994 e 2003 a 2006) e sua última função pública foi novamente como prefeito de Aracaju, de 2013 a 2017. Ele e a senadora Maria do Carmo foram fundadores do Partido da Frente Liberal (PFL) no estado, que posteriormente se transformou no Democratas.

Obras em Sergipe
A sua formação em engenharia civil trouxe benefícios para o estado sergipano, fazendo com que João se empenhasse em obras para melhorar a vida das pessoas. Ele deixou obras como o Porto de Sergipe, a orla da Praia de Atalaia, o Parque da Cidade, o aterro e a urbanização da Coroa do Meio, o Centro de Criatividade, a ponte Godofredo Diniz e outras obras estruturais em Aracaju, além de projetos de irrigação e de construção de cisternas para captação de água para as famílias do interior do estado.

Canal de Xingó
Idealizado por João Alves, as obras do projeto do Canal de Xingó foram autorizadas em outubro deste ano. A Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) executará a obra.

O esperado é que as obras do Canal Xingó iniciem em 2022 e finalizem entre 2023 e 2024. As obras do Canal de Xingó vão possibilitar a oferta de água aos municípios baianos de Paulo Afonso e Santa Brígida, bem como reforço à rede de abastecimento do estado de Sergipe.

Para a construção do Canal do Xingó são necessárias as fases de elaboração do projeto executivo dos primeiros 50 km da obra, correspondentes ao Lote I da Fase I. A Fase I é dividida em duas partes e tem extensão total de 114 km, com captação no Reservatório de Paulo Afonso IV e extensão até o local do antigo Reservatório R-5, em Poço Redondo.

Ao todo, o projeto terá extensão de aproximadamente 300 km e será dividido em quatro fases. A primeira fase possibilitará a oferta de água aos municípios baianos de Paulo Afonso e Santa Brígida, e Canindé do São Francisco e Poço Redondo, no estado de Sergipe. A expectativa é que as obras sejam iniciadas em 2022. A obra total do Canal está avaliada em mais de R$1,3 bilhão, e só a primeira etapa custará R$200 milhões.

Leia mais:
Legado: João Alves Filho e a preocupação com o sertão, cidade e meio ambiente
Missa de um ano da morte do ex-governador João Alves Filho acontece nesta quinta (25)



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.