Política


Integrantes do PSL de Socorro acusam Rodrigo Valadares de não repassar verba eleitoral: ‘Deixe de ser moleque’


Publicado 06 de novembro de 2020 às 15:00     Por Larissa Barros     Foto Reprodução / Facebook

Por meio de vídeos divulgados nas redes sociais, integrantes do PSL do diretório de Nossa Senhora do Socorro, na Grande Aracaju, acusaram o candidato a prefeito de Aracaju, deputado estadual Rodrigo Valadares (PTB), e o irmão dele e presidente estadual da sigla, Fábio Valadares, de não repassar a verba do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), conhecido como Fundo Eleitoral. Em uma das publicações, um dos integrantes afirma que cerca de R$ 1,4 milhão foram gastos pelo prefeiturável junto com o PSL.

“Quer dizer que o dinheiro veio só para o seu usufruto, para sua campanha? Quer dizer que você chega, se compromete com nós e depois vira as costas, deixa todo mundo cheio de dívida. E você ainda fala que é um homem evangélico, você é não é um homem evangélico não, você é uma pessoa diabólica. O que você está fazendo não se trata da palavra não, você não tem conhecimento da palavra, se você tivesse não fazia o que está fazendo não, enganando todo mundo. Então, tome vergonha na cara e faça o que é correto”, disse.

Ainda em um dos vídeos, o integrante do partido apelou para que o deputado repassasse a verba recebida e que “não fique enganando a população de Aracaju”. “Você deixe de ser moleque, porque aqui você está tratando com pessoas de bem, certo? Pessoas que estão buscando um projeto bonito com Eliana da Sopa [candidata à prefeitura], e que está crescendo dentro de Socorro. Vou dar outro recado para você, tu é muito burro, tu é tapado. Você não tem visão nenhuma, não. Socorro é muito grande, então, você não merece nem ser prefeito, nem vereador, nem presidente, cínico”, afirmou o homem.

Na quarta-feira (4), o prefeiturável Lúcio Flávio (Avante) denunciou Rodrigo Valadares à Justiça Eleitoral por suposto desvio de verba do Fundo Eleitoral para beneficiar aos familiares por meio de possíveis ilegalidade na locação de veículos. À Justiça, o postulante afirmou que após o desvio do recurso, o dinheiro será “possivelmente reinvestido na campanha eleitoral como caixa dois”.

Analista de perfil comportamental e então candidata a uma cadeira na Câmara Municipal de Aracaju pelo PSL, Rosy Silva anunciou que desistiu da disputa. Em desabafo na rede social, a ex-postulante também denunciou supostas irregularidades que estariam ocorrendo na legenda. Entre elas, lideranças da sigla estariam exigindo que as candidatas assinassem “recibo em branco”.

Outro lado
Em nota enviada ao AjuNews, o PSL informou que o dinheiro utilizado nas campanhas eleitorais tem sido repassado aos candidatos que disputam a candidatura ao cargo de prefeito e vereador. Além disso, alegou que a legislação pátria eleitoral confere liberalidade ao partido na forma como os recursos serão distribuídos, “inexistindo, portanto, obrigatoriedade legal em repartição igualitária entre as candidatos”.

“O critério adotado por esta Sigla, quanto ao repasse dos candidatos, é o trabalho realizado na pré-campanha, o comprometimento do candidato com em eleição, os candidatos que disputam a reeleição, as chances do filiado efetivamente eleger-se, dentre outros”, diz o texto.

Ainda segundo o partido, em Nossa Senhora do Socorro, os dados da pesquisa de intenção de voto de n°09088/2020 apontam que a candidata a prefeita Eliana da Sopa tem somente 1,92% dos votos.

“Além do mais, não há nenhum vereador filiado a esta SIGLA que esteja na condição de reeleição ou demonstre ao Diretório Estadual as chances de vir a ser eleito. Esta situação, infelizmente, se repete em algumas cidades do Estado Sergipano, nas quais os filiados desta Sigla não demonstram a possibilidade real de saírem vitoriosos na Eleição Municipal de 2020”, completa.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Rachel Sheherazade pede R$ 19 milhões em indenização trabalhista ao SBT, diz site

Justiça
Mais Lidas
Publicidade