Justiça


Advogados pedem ao STJ que prisão domiciliar de Queiroz se estenda a demais presos do grupo de risco para covid-19


Publicado 11 de julho de 2020 às 09:39     Por Dhenef Andrade     Foto Arquivo / Agência Brasil

Após o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) conceder prisão domiciliar ao ex-assessor Fabrício Queiroz com alegação de risco à saúde, advogados impetraram, nesta sexta (10), um habeas corpus coletivo na corte, para que benefício seja ampliado a se estenda a todos os presos preventivamente integrantes do grupo de risco para covid-19.

Os juristas do Coletivo de Advocacia em Direitos Humanos (CADHu), autores da ação, defendem que negar o direito a presos em mesma situação que Queiroz demonstra ‘inaceitável seletividade’ do STJ.

“Beneficiar apenas alguns investigados e réus ricos, amigos de poderosos, e esquecer a enorme massa de presos preventivos em nosso inconstitucional sistema prisional, em demonstração de inaceitável seletividade desta Corte Superior”, argumenta o grupo de advogados.

A decisão de conceder a prisão domiciliar à Queiroz foi proferida, nesta quinta-feira (9), pelo ministro João Otávio de Noronha. Ele alegou que estado de saúde do ex-assessor poderia ser agravado pelo fato de ser do grupo de risco para covid-19. Queiroz deixou o presidio em que estava a 22 dias, nesta sexta-feira (10).

Leia mais
Fabrício Queiroz deixa presídio no RJ e vai para prisão domiciliar



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Pastor Silas Malafaia é condenado a pagar R$ 15 mil ao deputado Marcelo Freixo

Justiça
Mais Lidas
Publicidade