Política


União é condenada a pagar R$ 50 mil por falas de Abraham Weintraub sobre maconha nas universidades federais


Publicado 01 de agosto de 2020 às 10:00     Por Eduardo Costa     Foto Marcelo Camargo/Agência Brasil

A União terá que pagar R$ 50 mil de indenização por danos morais à sociedade por causa do ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub. Em novembro de 2019, ele afirmou em entrevista ao Jornal da Cidade Online que as universidades federais desenvolviam plantações e laboratórios de produção de maconha. A decisão foi tomada pela juíza Silvia Figueiredo Marques, da 26ª Vara Cível Federal de São Paulo.

A decisão foi tomada após ação movida pela União Nacional dos Estudantes (UNE). Ainda cabe recurso, mas caso ele não seja aceito, de acordo com o jornal O Estado de S. Paulo o valor será repassado ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos, gerido pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Na entrevista de novembro do ano passado, Weintraub disse que faculdades de química desenvolviam laboratórios de droga sintética. “Você tem plantações extensivas de maconha em algumas universidades. A ponto de ter borrifador de agrotóxico”, afirmou o ex-ministro, que teve que dar explicações na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados pelas afirmações (e repetiu a ideia).

A juíza Silvia Figueiredo Marques, que autorizou a condenação, destacou que Weintraub “quando fez as afirmações apontadas, o fez na figura de ministro da Educação. Não foi um comentário de um qualquer do povo. Foi o ministro da Educação falando dos estudantes”.

“É fato notório, não necessitando, pois, de prova, o viés ideológico do ex-ministro. Aliás, tanto ele fez e falou que terminou por deixar o ministério. Sendo que ainda se apura se o uso do passaporte diplomático por ele, imediatamente à saída do cargo para adentrar os Estados Unidos, foi regular”, complementou a magistrada.

Segundo o Estadão, a defesa de Abraham Weintraub alegou que ele não acusou estudantes, professores e reitores, mas apenas fez “referência a reportagens jornalísticas, divulgadas em vários veículos de comunicação”. Hoje, o ex-ministro está nos Estados Unidos e recentemente foi aceito para o cargo de diretor-executivo no conselho do Banco Mundial.

Leia mais:
Aliados de Bolsonaro defendem tirar Salles do Ministério do Meio Ambiente adotando ‘solução Weintraub’
TCU diz que alteração na data de exoneração de Weintraub ‘confirma fraude’
Ministério da Educação retoma cotas na pós-graduação de instituições federais



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Mais de 117 mil pessoas que receberam auxílio emergencial de forma indevida já fizeram devolução

Justiça
Mais Lidas
Publicidade