Política


‘Fora PT’: Belivaldo Chagas retira mais uma secretaria de petistas


Publicado 18 de agosto de 2021 às 06:27     Por Peu Moraes     Foto Reprodução / Governo de Sergipe

O governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD) iniciou a semana dando mais um “chega pra lá no PT” ao anunciar o novo secretário estadual da Agricultura, Desenvolvimento Agrário e da Pesca (Seagri), o ex-deputado estadual Zeca da Silva, com posse para próxima segunda-feira (23). A indicação foi direta do ‘novo aliado’ o ex-deputado federal e presidente do PSC no estado, André Moura.

Com essa manobra, Belivaldo retirou do Partido dos Trabalhadores (PT) a joia do sertão, uma vez que, o futuro ex-secretário da Seagri, André Luiz Bomfim, foi colocado na pasta a pedido do deputado federal João Daniel (PT), que tem forte ligação com o setor agrícola, conforme publicações em suas redes sociais.

Caso 1: Em março, o primeiro do grupo petista que foi convidado a se retirar do Governo de Sergipe, atende pelo nome de Silvio Santos, quando deixou o gabinete de Aquino. A última que SS ganhou destaque na mídia foi em maio, após de forma fatídica desdenhou da morte do ex-prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB) vítima de câncer. “Não sou hipócrita. Já vai tarde o homem cuja maior obra foi humilhar seus semelhantes”, escreveu o político petista na rede social.

Após repercussão negativa, Santos pediu desculpas e afirmou que exagerou nas colocações. “Dessa forma, venho a público pedir desculpas a tod@s que ficaram espantados com a força e a insensibilidade do meu verbo. Peço desculpas especialmente àqueles que me conhecem como moderado e sabem que não sou chegado a arroubos e desumanidades. Estes, certamente, ficaram mais espantados. Informo ainda que, ao perceber que minha atitude na referida postagem respinga na entidade que presido, resolvi renunciar em caráter irrevogável a presidência do Instituto Marcelo Déda”, escreveu o petista.

Caso 2: Também em maio, o anúncio da pré-candidatura do líder do PT no Senado, Rogério Carvalho, ao Governo de Sergipe nas eleições de 2022, arranhou as estruturas da aliança, uma vez que, nada foi acertado com o grupo. As informações foram publicadas pela colunista do jornal Folha de São Paulo, Mônica Bergamo. De acordo com a jornalista, o parlamentar recebeu permissão para disputar a cadeira do Palácio dos Despachos, sede do Governo Estadual, após reunião com o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. Que está em viagem pelo Nordeste, mas deixou Sergipe fora da agenda mesmo tendo no estado o vice-presidente nacional da legenda, o candidato derrotado nas eleições de 2020, Marcio Macedo.

Caso 3: Ainda há mais um para cair. Conforme circula nos bastidores, o superintendente do Instituto de Promoção e de Assistência à Saúde de Servidores do Estado de Sergipe (IpeSaúde), Christian Oliveira. Belivaldo já deu o direcionamento do tom que deve usar caso seja chamado de traidor. “É interessante essa história de dizer que o PT teve um papel importante e foi preponderante no processo de eleição do governador, tendo Eliane como vice-governadora. E aí eu faço uma pergunta: Edvaldo Nogueira será que teve um papel importante no processo de formação desse bloco em algum momento? E no entanto eu pergunto: O que fizeram com Edvaldo Nogueira na eleição passada? Será que foi justo?”, disse na Fan FM, nesta terça-feira (17).

* Peu Moraes é editor do AjuNews. É jornalista formado pela UniFTC, especialista em Política e Economia e estudante de Direito da UniFTC.*



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.