Cidades


Atualização de decreto recomenda funcionamento escalonado de atividades em Sergipe


Publicado 07 de abril de 2021 às 19:20     Por Dhenef Andrade     Foto André Moreira / PMA

Para além do toque de recolher, renovado pelo governador de Sergipe, Belivaldo Chagas (PSD), a partir desta quarta-feira (7), a atualização do decreto que mantém a medida traz a recomendação de que municípios adotem o escalonamento no horário de funcionamento do comércio.

A adoção diferenciada na abertura e fechamento de serviços essenciais e não essenciais tem por objetivo reduzir o fluxo de passageiros no transporte público, em especial, nos horários de 7, 18 e 19 horas, e com isso diminuir as transmissões do novo coronavírus (covid-19).

A superlotação de passageiros sem o mínimo cumprimento de medidas de distanciamento social tem sido alvo de várias críticas, inclusive do Ministério Público de Sergipe (MP-SE). De acordo com o órgão, as medidas anunciadas pelo governo do estado ainda são insuficientes para conter avanço da doença.

Ainda com a renovação das restrições, fica mantido o toque de recolher das 20h às 5h, incluindo o fim de semana, devendo os estabelecimentos encerrar suas atividades às 19h.

Também ficam proibidos o funcionamento de atividades não essenciais, incluídos serviços e lojas, ainda que instaladas em supermercados ou outros estabelecimentos essenciais, bem como as academias de ginásticas, de qualquer modalidade, e atividades físicas coletivas em geral.

Uma nova reunião do Comitê Técnico-Científico e de Atividade Especiais (Ctcae) com Belivaldo deve ocorrer na próxima quarta-feira (15). A evolução da pandemia no estado baseará novas decisões.

Leia mais
Covid-19: Apenas 10 leitos de UTIs estão disponíveis na rede pública de Sergipe
Sergipe registra 512 novos casos de covid-19 e 25 mortes nesta terça-feira (6)



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Rachel Sheherazade pede R$ 19 milhões em indenização trabalhista ao SBT, diz site

Justiça
Mais Lidas
Publicidade