Política


Pfizer diz que não aceita condições de Bolsonaro para vender vacina contra covid-19 ao Brasil


Publicado 22 de fevereiro de 2021 às 18:30     Por Larissa Barros     Foto Tânia Rêgo / Agência Brasil

A farmacêutica Pfizer afirmou que não aceita as exigências feitas pelo governo brasileiro até agora para vender sua vacina ao país. De acordo com a colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de São Paulo, a afirmação foi feita a senadores brasileiros, nesta segunda-feira (22).

Segundo a coluna, na reunião estavam presentes o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), e o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP). A empresa farmacêutica quer que o governo brasileiro se responsabilize por eventuais demandas judiciais decorrentes de efeitos adversos da vacina, desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tenha concedido o registro ou autorizado o uso emergencial e temporário.

Ainda de acordo com a colunista, a empresa também pediu que o governo renuncie à soberania de seus ativos no exterior como garantia de pagamento, bem como constitua um fundo garantidor com valores depositados em uma conta no exterior.

Por fim, a reunião com os parlamentares foi realizada para que eles tentem ajudar a contornar o problema, por meio do diálogo com o governo.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Após boato, deputados negam articulação sobre possível mudança na Mesa Diretora da Alese

Justiça
Mais Lidas
Publicidade