Entrevista


“Um cenário ruim e de irresponsabilidade”, diz Dilson de Agripino sobre prefeitura encontrada em Tobias Barreto


Publicado 10 de janeiro de 2021 às 07:00     Por Fernanda Sales     Foto Ascom / Tobias Barreto

Prefeito eleito de Tobias Barreto, no Centro Sul Sergipano, Dilson de Agripino (Cidadania) afirmou que ficou “assustado” com a situação deixada pela gestão do ex-prefeito Diógenes Almeida (MDB) na prefeitura. Em entrevista ao AjuNews, Dilson revelou que encontrou um “cenário ruim e de irresponsabilidade” do antigo gestor.

Segundo Dilson, o ex-prefeito deixou todos os servidores efetivos sem pagamento em dezembro, não repassou o duodécimo da Câmara de Vereadores no último dia 20 e não pagou o dinheiro do consignado do servidor dos meses de novembro e dezembro de 2020. “Não é brincadeira, então é algo triste e difícil para mim, que sou gestor agora, mas principalmente para o povo de Tobias Barreto. São coisas assustadoras”, declarou ele, acrescentando que vai pedir a ajuda da deputada estadual Diná Almeida (Podemos), esposa de Diógenes, para sair “do caos que o marido dela deixou”.

Durante a entrevista, Dilson comentou porque decidiu deixar a vaga de deputado na Alese para reassumir a prefeitura de Tobias Barreto. Segundo ele, “foi um chamamento da população. “O povo de Tobias e de Sergipe me mandou para representá-lo na Alese. Após dois anos, o chamado foi para que eu me colocasse à disposição para ser um candidato à prefeito”.

À reportagem, o ex-deputado avaliou a decisão de Sheyla Galba, primeira suplente para a sua vaga na Assembleia Legislativa de Sergipe (Alese), de desistir do cargo para ser vereadora de Aracaju. Segundo ele, “agora ela tem um caminho de quatro anos. Sheyla fez um plano de trabalho para deputada, não deu certo, e fez um plano de trabalho para vereadora para executá-lo servindo à Aracaju”, completou.

Questionado sobre o que esperar do mandato do seu substituto na Alese, o deputado João Marcelo (PTC), empossado na terça-feira (5), ele respondeu: “tenho certeza que João Marcelo vai ter o respeito com o povo de Sergipe e vai fluir na necessidade do bem-estar da população”.

Leia a entrevista completa abaixo:
AjuNews: Por que o senhor decidiu deixar a vaga de deputado na Alese para reassumir a Prefeitura de Tobias Barreto?
Dilson de Agripino: Eu estive prefeito de Tobias Barreto e quatro anos depois renovaram minha carteira de trabalho por mais quatro anos. Depois, o povo de Tobias e de Sergipe me mandou para representá-lo na Alese. Após dois anos, o chamado foi para que eu me colocasse à disposição para ser um candidato à prefeito. Foi um chamamento da população.

AjuNews: Qual o balanço do seu mandato na Alese? O que marcou sua passagem no parlamento estadual?
Dilson de Agripino: O balanço na Alese é estar contribuindo para Sergipe. O primeiro ano foi de aprendizado e complexidade, mas também com muito fluxo para beneficiar o estado com o nosso trabalho. O segundo ano foi com a pandemia, porém firme e procurando votar nos projetos para dar qualidade de vida ao povo de Sergipe. Tenho um balanço positivo. Meu papel é legislar com cuidado e respeito, tomando as medidas necessárias e pontuais, em cada avaliação minha e da minha equipe técnica, do que é benefício para o povo de Tobias Barreto e de Sergipe. Assim era o meu cargo de deputado estadual.

AjuNews: Como o senhor analisa a decisão de Sheyla Galba (Cidadania) em não assumir a vaga na Alese para ser vereadora de Aracaju?
Dilson de Agripino: É uma decisão dela e acredito que ela passou por um momento de reflexão e, com certeza, sentou com os líderes políticos, com o povo que a elegeu. Tenho a impressão que foi isso que a fez optar por ser vereadora, porque agora ela tem um caminho de quatro anos. Sheyla fez um plano de trabalho para deputada, não deu certo, e fez um plano de trabalho para vereadora para executá-lo servindo à Aracaju.

AjuNews: O que espera do mandato do seu substituto na Alese, o deputado João Marcelo (PTC)?
Dilson de Agripino: Espero e tenho certeza que João Marcelo vai ter o respeito com o povo de Sergipe e vai fluir na necessidade do bem-estar da população. Claro que nas decisões dos outros companheiros deputados, ele vai avaliar e sair com pontos positivos para Sergipe porque esse é o compromisso. Não é fácil, mas ele irá medir o que é melhor para o povo.

AjuNews: Voltando-se agora para Tobias Barreto, qual cenário encontrado deixado pela gestão anterior?
Dilson de Agripino: Um cenário que me deixou assustado pela experiência que tinha o ex-prefeito Diógenes Almeida, que já foi deputado e prefeito anteriormente. Me assustou o que ele fez com Tobias Barreto agora nessa gestão. Um cenário ruim e de irresponsabilidade, a exemplo de deixar todos os servidores efetivos sem pagamento em dezembro, não repassar o duodécimo da Câmara de Vereadores no último dia 20 e não pagar o dinheiro do consignado do servidor dos meses de novembro e dezembro de 2020. Não é brincadeira, então é algo triste e difícil para mim, que sou gestor agora, mas principalmente para o povo de Tobias Barreto. São coisas assustadoras. Uma decepção para mim e uma vergonha para a família Almeida em Tobias Barreto, representada politicamente por Diógenes e sua esposa Diná, deputada estadual.

AjuNews: Como o senhor avalia a gestão do ex-prefeito Diógenes Almeida?
Dilson de Agripino: Eu não tenho como avaliar. Na verdade, avalio como eu recebi a prefeitura, que foi de forma irresponsável. O povo avaliou e deu a resposta correta a essa pergunta quando me elegeu prefeito de Tobias Barreto nesses próximos quatro anos, ao lado do vice-prefeito César Prado.

AjuNews: Quais serão os desafios da sua gestão nos próximos quatro anos? O que será prioridade em seu mandato?
Dilson de Agripino: Prioridade é a humanização de todos os setores do município e fazer uma reflexão de escutar, avaliar, planejar e projetar. Além disso, as principais metas são dar qualidade para a população e focar na indústria e comércio da confecção e produção de Tobias Barreto, que precisamos colocar na vista do Brasil e do mundo porque ela já tem a fama, porém o potencial ainda não foi visto. Diante disso, começar a batalhar por um centro de acolhimento ao turista que vem de vários estados, principalmente da Bahia, Alagoas, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte.

AjuNews: O que o prefeito Dilson que reassume o município tem de diferente do Dilson que deixou a prefeitura em 2016?
Dilson de Agripino: Eu costumo fazer minha gestão avaliando a manifestação popular. Meus planos de trabalho, ou seja, os planos de governo vêm da alma e da voz do povo. A realidade que passei por oito anos foi um grito de socorro em esgotamento, calçamento, praças, quadras, e passou. Agora, depois de quatro anos, nesse novo plano de governo, está tudo isso e também a geração de emprego e renda, a primeira oportunidade, e a indústria e comércio, que será o foco maior.

AjuNews: Tobias Barreto segue com uma representante na Alese, a deputada Diná Almeida, diga-se de passagem, esposa do ex-prefeito Diógenes Almeida, seu opositor. Como será sua relação com a parlamentar?
Dilson de Agripino: Eu vou ao gabinete da deputada dizer que estou trabalhando por Tobias Barreto no cargo de prefeito e ela está trabalhando por Sergipe, sendo filha de Tobias Barreto, no cargo de deputada estadual. Vamos ver como ela pode nos ajudar a administrar a cidade para sairmos do caos que o marido dela deixou, com contas e servidores sem pagar, para refletirmos e ver se ela me ajuda.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

TSE suspende punições para eleitor que não votou nas eleições municipais de 2020

Justiça
Mais Lidas
Publicidade


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.