Política


“Derrotei dois ex-prefeitos que se achavam donos de Capela”, diz Silvany


Publicado 03 de dezembro de 2020 às 06:41     Por Fernanda Sales     Foto Fernanda Sales / AjuNews

A prefeita do município sergipano de Capela, Silvany Mamlak (PSC), se tornou a primeira mulher a se reeleger no município do leste sergipano. Em entrevista ao AjuNews, ela falou sobre a disputa eleitoral com seus adversários, afirmando que “a política foi desleal e acirrada demais”. “Derrotei dois ex-prefeitos que se achavam donos de Capela”, disse ela, que conquistou 7.378 votos, o que corresponde a 39,03%. Em segundo lugar, Clara Sukita (Republicanos), conseguiu 7.040 votos, alcançando 37,25%, ela é irmã do ex-prefeito Manuel Sukita, que é ex-marido de Silvany.

Segundo Silvany, houve muito jogo pelo poder. “Eles não queriam debater projetos e sim agredir as pessoas, mas isso já passou, já desci do palanque. Para mim, a eleição terminou dia 15, às 18h, e estou muito tranquila, o que passou, passou”, completou ela sobre a disputa ao pleito.

A prefeita também mostrou preocupação com a retomada da economia, que para ela, será o maior desafio do mandato. “Estamos num momento difícil onde a gente tem que priorizar a economia do nosso município, porque além de atravessarmos uma crise de saúde [com a pandemia da covid-19], mas atravessaremos ainda uma crise econômica. Tem que ter muito equilíbrio nas contas do município, muito equilíbrio administrativo e foi isso que o povo escolheu, a forma como administramos o município com muita seriedade e transparência”, afirmou.

Silvany falou também como pretende retomar a economia de Capela em 2021. “A gente tem um fundo municipal de desenvolvimento econômico aprovado na nossa gestão que vamos implementar a partir do ano que vem. Vamos fomentar o comércio local, os pequenos negócios e manter a máquina funcionando com a regularidade dos pagamentos dos funcionários públicos e a forma de contratação valorizando a mão de obra local”.

São João de Capela
Com relação ao São Pedro de Capela no ano que vem, a prefeita explicou que fará a tradicional festa capelense se o período de pandemia tiver acabado. “Se daqui para junho, que é o São Pedro da Capela, a vacina já estiver disponível e já estivermos atravessado esse momento pandemia, vamos realizar o São Pedro com toda segurança e proteção para nossa população e para os nossos visitantes, mas tudo depende desse momento que vamos vivenciar a partir de 2021. Nós já teríamos uma festa agora em janeiro, que é a festa da padroeira, mas não vamos realizar. O nosso padre já esteve conosco e vamos fazer uma carreata ao invés de procissão”.

Mudanças na gestão
Questionada se haverá mudanças na nova gestão, Silvany ressaltou que será necessário mexer em algumas pastas, “para que a administração continue ofertando um serviço eficiente”. “E para que a gestão dê realmente uma nova versão em 2021. Mas acredito que seja de 20% a 30% só de troca de secretário, o restante vai continuar nas pastas porque estou satisfeita com os trabalhos deles e, na ponta, a população também está satisfeita”, revelou.

Relação na Câmara
Dos 13 vereadores eleitos para a Câmara Municipal de Capela, a prefeita reforça que nove são do seu agrupamento e quatro da oposição. “Sempre tive relação harmoniosa com o poder legislativo. Vamos manter o diálogo e as informações necessárias para que a Câmara de Vereadores tenha um papel atuante na nossa administração como órgão fiscalizador, como orientador através dos requerimentos dos vereadores, que são atendidos. Então queremos manter essa relação harmoniosa, respeitosa e transparente. Desejo boa sorte aos novos eleitos e que possamos trabalhar juntos pelo povo”, finalizou.



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Publicidade
Justiça

Advogado solicita à Justiça que Karol Conká seja intimada dentro da casa do BBB21, diz colunista

Justiça
Mais Lidas
Publicidade


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.