Mundo


Novak Djokovic pode ser deportado após Austrália cancelar visto pela segunda vez


Publicado 14 de janeiro de 2022 às 10:40     Por Dhenef Andrade     Foto Reprodução / Redes Sociais / @novakdjokovich

A novela que envolve o tenista número um do mundo, o sérvio Novak Djokovic, de 34 anos, e o governo Australiano continua. O ministro da Imigração, Alez Hawke, cancelou o visto do atleta pela segunda vez, nesta sexta-feira (14), por motivos de ‘saúde e ordem’. O tenista não se vacinou contra a covid-19 e tenta jogar o Aberto da Austrália que começa na próxima segunda-feira (17).

“Hoje eu exerci meu poder… de cancelar o visto do senhor Novak Djokovic por motivos de saúde e ordem, com base no interesse público”, disse o ministro, em um comunicado. Djokovic pode ser deportado e proibido de obter um visto australiano pelos próximos três anos. A decisão cabe recurso. O tenista foi incluído no sorteio oficial da competição nesta quinta-feira (13), mas diante da reviravolta pode ficar fora da disputa. Novak já foi nove vezes campeão do torneio e buscava seu 21º Grand Slam.

O cabo de guerra começou no dia 6 de janeiro quando o jogador chegou a Melbourne. Oficiais da imigração australiana disseram que ele “não conseguiu fornecer evidências suficientes” para receber uma dispensa de vacina. A decisão foi revertida por um juiz que entendeu que os funcionários da fronteira ignoraram o procedimento correto.

A legislação da Austrália permite que qualquer pessoa que seja um risco potencial para “a saúde, segurança ou boa ordem da comunidade australiana” seja deportada.

Leia mais
Tite faz primeira convocação do ano para reta final das eliminatórias



Os comentários não representam a opinião do portal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Leia os termos de uso


Ao clicar no botão “Aceitar” ou continuar a visualizar nosso site, você concorda com o uso de cookies em nosso site.